sexta-feira, 26 de junho de 2015

[Resenha] "Seis Anos Depois", por Harlan Coben



     Esquecer um grande amor é algo bastante difícil. Principalmente nas condições em que se encontra Jake Fisher, o protagonista do livro “Seis Anos Depois”. Jake conheceu Natalie Avery no verão, durante um retiro para artistas. Ambos se apaixonaram e viveram os melhores meses de suas vidas. Mas de uma hora pra outra, Natalie rompeu o relacionamento com Jake, alegando que se casaria com seu ex-namorado, Todd, e pediu para que ele os deixassem em paz e que nunca mais voltasse a procurá-la. De coração partido, Jake passa a dedicar-se inteiramente à sua carreira de professor universitário e mantêm a promessa… durante seis anos. Quando fica sabendo do falecimento de Todd, Jake resolve procurar Natalie. Mas no enterro se depara com outra viúva e descobre que o casamento de sua amada amante não passou de uma farsa. Disposto a esclarecer tudo, Jake resolve procurá-la, mas não imagina o quanto pode ser perigoso ir atrás que alguém que não quer ser encontrado.

     “Seis Anos Depois” é mais um livro sensacional de Harlan Coben, lançado pela editora Arqueiro em 2014. Estava bastante ansioso para lê-lo, mas precisei adiar sua leitura porque antes precisava ler “Fique Comigo” e “O Inocente”, ambos do Harlan Coben que estavam na minha lista de espera. E como “Seis Anos Depois” era o mais recente, preferi deixá-lo para depois.


      Devido às ótimas referências em relação a ele, criei grandes expectativas em cima do romance. E isso é muito ruim, pois as chances de se decepcionar também são muito grandes. É muito melhor quando a gente não espera nada de um livro e ele nos surpreende. Porém, não me decepcionei (ainda bem!); Harlan raramente me decepciona. Embora tenha gostado bastante de “Seis Anos Depois”, do meu ponto de vista, ele ficou muito abaixo do que eu esperava. Fato semelhante ocorreu, há cinco anos, quando li “Não Conte a Ninguém”. Depois dos excelentes “Desaparecido Para Sempre” e “Confie em Mim”, me aventurei na história do dr. David Beck, que descobre que sua esposa Elizabeth, que havia sido assassinada há oito anos por um serial-killer, pode estar viva e decide ir atrás de toda a verdade. Apesar da ótima sinopse, “Não Conte a Ninguém” não me empolgou.

      Agora, o “Seis Anos Depois” se encontra em situação semelhante. Na verdade eu até achei um livro muito interessante e sua história bastante amarrada e, de certa forma, envolvente e até mesmo marcante. Melhor até do que a de “Não Conte a Ninguém”. Mas o livro demorou a me conquistar. E isso não costuma acontecer com os livros do autor que eu costumo ler. Geralmente do 1º ao 3º capítulo eu já fico viciado na leitura e quase não consigo parar de ler. Mas com “Seis Anos Depois” não foi assim. Só fui “fisgado” pela história a partir do capítulo 12.

      Uma história marcada por segredos e recheada de suspense, “Seis Anos Depois” expõe o quanto nós somos dependentes deste sentimento confuso, que chega sem avisar: o amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário