domingo, 7 de junho de 2015

[Top 5] As melhores novelas de Walcyr Carrasco


     Walcyr Carrasco é um dos melhores contadores de histórias que eu conheço. Cresci lendo e assistindo suas obras e de certa forma, foi graças às suas novelas que peguei o gosto pela leitura. Quando, ainda na escola, me deparei com o livro "O Menino Narigudo" na prateleira da biblioteca, me surpreendi ao ver o nome do autor na capa. "Conheço esse nome de algum lugar..." - disse a mim mesmo. No mesmo dia tive a comprovação: durante a abertura de "Alma Gêmea", a novela das seis na época, que era um fenômeno, li nos créditos "novela de Walcyr Carrasco". Aí pensei: "Se 'Alma Gêmea' é tão boa, com certeza 'O Menino Narigudo' também é!". E era mesmo! Desde então não parei mais de ler!

     "Verdades Secretas"



     Amanhã estreia mais uma novela de Walcyr Carrasco, "Verdades Secretas". Estou bastante ansioso, pois será a única novela que vou poder acompanhar, pois as aulas na faculdade me impedem de assistir as outras. Além da sinopse ser muito interessante, quero conferir o retorno de Drica Moraes e Marieta Severo, a estreia de Camila Queiroz nas novelas e a atuação de Grazi Massafera em um papel diferente de tudo que ela fez até hoje.

      Por isso, resolvi listar aqui as 5 novelas do Walcyr que eu mais gostei de assistir até hoje. Confira:




5ª - Amor à Vida (2013-2014)


     Não está entre as minhas preferidas, mas eu curti bastante. A história de amor entre Paloma (Paolla Oliveira) e Bruno (Malvino Salvador) foi uma das melhores que já conheci e das mais bem desenvolvidas. Quando conheceu Paloma, Bruno não imaginava que ela fosse a mãe da bebê que ele achou numa caçamba de lixo. O irmão da moça, Félix (Mateus Solano) foi quem raptou e abandonou a própria sobrinha. Outro destaque da novela foram as personagens Márcia (Elizabeth Savalla) e Valdirene (Tatá Verneck), que renderam boas risadas. Sem falar no próprio Félix, que arrebatou o público com um vilão sarcástico que se regenerou no final.




4ª - Morde & Assopra (2011)


     Divertida comédia romântica exibida às 19 horas, "Morde & Assopra" uniu o passado e o futuro na história de amor entre a paleontóloga Julia (Adriana Esteves) e o fazendeiro Abner (Marcos Pasquin), que brigam feito cão e gato (ou dinossauro e robô, como sugeria a abertura!). Julia descobre uma preciosa ossada de um titanossauro nas terras do fazendeiro "pré-histórico", mas ele se nega a permitir que a "bruxa" destrua suas plantações de café. Em outra parte da novela o cientista Ícaro (Mateus Solano), especialista em robótica, cria um robô idêntico à sua esposa, Naomi (Flávia Alessandra), que desapareceu e foi dada como morta.
     Curti também a trama de Dulce (Cássia Kis Magro) e Guilherme (Klebber Toledo), seu filho, que sentia vergonha por ela ser humilde. O humor ficou por conta da sovina Salomé (Jandira Martini), às voltas com sua empregada Cleonice (Vera Mancini) e as tentativas do sargento Xavier (Anderson di Rizzi) em conquistar sua "Pirulitona" (Otaviano Costa).




3ª - Gabriela (2012)


     Inspirada na obra "Gabriela, Cravo & Canela", de Jorge Amado, "Gabriela" foi uma das melhores novelas das 23 horas. Juliana Paes interpretava a protagonista, que se apaixonava por seu patrão Nacib (Humberto Martins). Gabriela é uma jovem ingênua que foi criada de forma diferente e não entende os costumes das pessoas da cidade de Ilhéus.
     Desenvolve-se na novela a disputa política entre o Coronel Ramiro Bastos (Antonio Fagundes) e Mundinho Falcão (Mateus Solano). O Coronel é conservador e se sente ameaçado com as ideias progressistas de Mundinho. O clima esquenta quando Mundinho se apaixona por Gerusa (Luiza Valdetaro), a neta do coronel.
     Mas quem roubou a cena na novela foi dona Doroteia e coronel Jesuíno, dois grandes momentos na carreira de seus intérpretes, Laura Cardoso e José Wilker, respectivamente. Doroteia, que se denominava o "pilar da moral e dos bons costumes", julgava sem dó todas as pessoas da cidade, mas escondia um segredo que poderia tremer as estruturas da sua integridade. Já o coronel Jesuíno matou a esposa Sinhazinha (Maitê Proença) e o amante Osmundo (Erick Marmo) ao surpreendê-los na cama. Seu bordão "Vou lhe usar" rendeu inúmeros memes na internet.
     "Gabriela", por incrível que pareça, gerava mais repercussão na minha escola do que o fenômeno "Avenida Brasil", novela das 9 da época.




2ª - Caras & Bocas (2009-2010)


     Conhecida popularmente como "a novela do macaco", "Caras & Bocas" foi um fenômeno de audiência e repercussão no final da década de 2000. A trama narra a história de amor entre Dafne (Flávia Alessandra) e Gabriel (Malvino Salvador), que vivem brigando, apesar de se amarem. Bianca (Isabelle Drummond), fruto do amor entre eles, aprontava todas para ver seus pais juntos, com a ajuda de seu fiel escudeiro, Felipe (Miguel Rômulo).
      Também emocionou o público a história de Xico, um chimpanzé que foge do circo e vai morar na casa de Denis (Marcos Pasquin) e Espeto (David Lucas). Xico passa a fazer pinturas com as telas do Denis e as obras encantam Simone (Ingrid Guimarães). Devido à péssima situação financeira em que se encontra, Denis é convencido pelo filho a assinar as telas do macaco.
      Quem arrancou boas risadas do público foi Fabiano (Fábio Lago), que desconfiava que sua esposa, Ivonete (Suzana Pires), tinha um caso com seu suposto irmão, Adenor (Otaviano Costa). Durante a novela ele usa diversos disfarces para espiá-la: japonesa, freira, baiana, mulata, entre outros, gerando muita confusão.




1ª - Alma Gêmea (2005-2006)


     "Alma Gêmea" conta a história do amor eterno entre Rafael (Eduardo Moscovis) e Luna (Liliana Castro) tragicamente separados e que, cerca de 20 anos depois, voltam a se encontrar quando ela reencarna no corpo de Serena (Priscila Fantin). O assassinato de Luna foi planejado por Cristina (Flávia Alessandra), que sempre teve inveja da prima. Quando Serena começa a trabalhar na mansão de Rafael, ambos se apaixonam sem saber de suas ligações em vidas passadas. Sentindo que Serena representa ameaça aos seus planos, Cristina e sua mãe Débora (Ana Lúcia Torre) fazem de tudo para separar o casal novamente.
     A trama ainda contava com o núcleo de humor formado pelos irmãos caipiras Mirna (Fernanda Souza) e Crispim (Emílio Orciollo Netto), que vivem com seu tio Bernardo (Emiliano Queiroz) em um sítio. Crispim morre de ciúmes de Mirna, que sonha em arranjar marido. Por isso, ele coloca todos os pretendentes dela pra correr. Isso quando não inventava de jogá-los no chiqueiro.
     "Alma Gêmea" foi uma das melhores novelas que assisti. A trama forte e os personagens tão marcantes foram fundamentais para torná-la inesquecível e com uma audiência espetacular. Sem falar nas cenas memoráveis, como as trocas de tapas entre Serena e Cristina, as sequências das tentativas de resgate ao Rafael e a melhor de todas: quando Mirna joga Cristina no chiqueiro. Inesquecível!


     Menção honrosa à "O Cravo e a Rosa" (2000) e "Chocolate com Pimenta" (2003), que apesar de eu não ter gostado tanto quanto as outras, também foram grandes novelas. "A Padroeira" (2001) é a única do autor que eu não lembro muito. Mas seria interessante uma reprise ou lançamento em DVD. "Xica da Silva", da Manchete; "Facinação" e "Cortina de Vidro", do SBT, eu também não assisti, mas pelo que dizem parecem ser excelentes também.

     Enfim, espero que "Verdades Secretas" também me conquiste como as citadas acima. Estou na torcida pelo sucesso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário