sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Os Melhores do Ano - 2015


     E o ano de 2015 se despede. Então, é hora de fazer uma retrospectiva e avaliar o que mais se destacou pra mim nesse ano. Em quase todas as categorias relacionadas à teledramaturgia fiquei na dúvida entre "Verdades Secretas" e "Além do Tempo" - as melhores produções do ano -, mas a trama das seis acabou se sobressaindo na maior parte delas, na minha modesta opinião.

Abaixo você confere a lista do melhor de cada categoria:




Novela - "Além do Tempo"

    Essa foi uma das categorias mais difíceis. Por alguns meses fiquei dividido entre "Verdades Secretas" e "Além do Tempo". Ambas são novelas totalmente diferentes, mas repletas de qualidades. Mas a trama das seis, que a princípio foi a que menos me despertou interesse nesse ano, foi a que mais me surpreendeu e me conquistou a cada capítulo. 



Série/Minissérie - "Os Experientes"

     "Os Experientes" foi outra grata surpresa esse ano. O maior destaque foi o primeiro episódio, "O Assalto", com a presença de Beatriz Segall, uma das atrizes que mais admiro e que fazia (e ainda faz) muita falta na televisão. Além do roteiro e da direção, o que me surpreendeu foi a qualidade da série. Uma produção impecável e muito bem produzida. Uma pena que teve tão poucos episódios.





Autor (a) - Elizabeth Jhin (Além do Tempo)

A princípio pensei em escolher Walcyr Carrasco como melhor autor do ano pela ousadia em retratar assuntos polêmicos em "Verdades Secretas", que além de tudo era uma trama interessante e muito bem escrita. Mas refleti melhor e cheguei à conclusão de que Elizabeth Jhin era a verdadeira merecedora do título. Criar uma novela como "Além do Tempo", que começou no final do século XIX e deu um salto de 120 anos chegando aos dias de hoje é uma das maiores ousadias já vistas na televisão. Sem falar nas tramas arrebatadoras e nos personagens tão marcantes e bem desenvolvidos. Elizabeth Jhin estava em estado de graça quando concebeu essa novela.



Diretor (a) - Rogério Gomes (Além do Tempo)

Considero Rogério Gomes como o melhor diretor da atualidade. Ele fez um excelente trabalho na novela "Império" no ano passado e em "Além do Tempo" conseguiu me surpreender novamente. Fico impressionado com a qualidade que ele dispõe nas novelas que dirige. E na novela das seis isso ficou ainda mais nítido, tanto na primeira fase quanto na segunda. Tudo de forma sublime, espontânea e com estilo peculiar de uma novela tradicional.



Reprise - "O Rei do Gado"

Quando anunciaram a reprise de "O Rei do Gado" no Vale a Pena Ver de Novo fiquei feliz e receoso ao mesmo tempo. Feliz porque é uma das novelas do Benedito Ruy Barbosa que mais gosto. E receoso porque pensei que sua exibição não faria sucesso e causaria até insatisfação nos telespectadores. Afinal, com tantas ótimas novelas ainda não reprisadas, por que investir numa novela que já havia sido exibida três vezes (a mais recente foi no Canal Viva, em 2011)? Mas, ao contrário do que pensei, o público abraçou a novela exibida originalmente em 1996 e novamente ela fez um enorme sucesso de público e repercussão. Foi muito prazeroso rever a saga das famílias Mezenga e Berdinazzi, comprovando que "O Rei do Gado" é um clássico eterno.




Abertura - "A Regra do Jogo"

Uma combinação perfeita entre o título da novela, a música e as imagens, a abertura de "A Regra do Jogo" é uma das mais bem elaboradas dos últimos tempos. O combate das peças do jogo de xadrez no tabuleiro, que se transforma em um verdadeiro campo de batalha, casa-se perfeitamente com o enredo da novela. E a música "Juízo Final" na voz potente de Alcione complementa o clipe.



Ator - Rafael Cardoso (Além do Tempo)

Acompanho a carreira de Rafael Cardoso desde "Beleza Pura" (2008) e a cada trabalho percebo o quanto ele evolui como ator. Protagonista de "Além do Tempo", Rafael interpretou na primeira fase o Conde Felipe Castellini, um nobre de bom caráter, mas com o coração cheio de dúvidas sobre a paternidade do filho e ainda sentido com a morte da esposa, Berenice (Elisa Brites). E pra completar estava comprometido com a fútil Melissa (Paolla Oliveira) e apaixonado pela noviça Lívia (Alinne Moraes). Na nova fase ele é Felipe Santarém, administrador da vinícola Campobello, casado com Melissa e feliz com a vida que leva ao lado da esposa e do filho Alex (Kadu Schons). Mas, ao encontrar Lívia na nova fase, o amor que os une além da vida é novamente despertado. Apesar da mesma essência, ambos os personagens das duas fases têm suas diferenças e Rafael Cardoso soube interpretá-los de forma única, comprovando sua capacidade como ator e honrando o posto de protagonista.



Atriz - Drica Moraes (Verdades Secretas)

Drica Moraes foi o principal nome do elenco de "Verdades Secretas" que me induziu a assistir a novela do Walcyr Carrasco. Sou grande admirador da atriz desde "Alma Gêmea" (2005) e fiquei extremamente feliz com sua escalação para interpretar a protagonista Carolina - que a princípio seria Deborah Secco. E foi uma das melhores coisas que aconteceram esse ano. Hoje não consigo imaginar outra atriz no lugar dela. Carolina parece ter sido criada especialmente para que Drica pudesse interpretá-la. Curiosamente (ou não), algumas atrizes foram cogitadas para o papel, mas não puderam aceitar. Realmente, Carolina estava destinada a ela. Drica soube aproveitar esse momento e de forma majestosa acabou me conquistando nesse papel tão intenso.



Melhor Cena: "Felipe e Lívia se encontram em outra vida" - (Além do Tempo)


Escolhi essa cena porque foi um momento marcante e muito aguardado pelos telespectadores. Foi a transição da antiga para a nova fase da novela "Além do Tempo", o fim de um ciclo e o início de outro. Sem diálogos, toda a emoção ficou por conta dos olhares dos protagonistas Felipe (Rafael Cardoso) e Lívia (Alinne Moraes), na estação de metrô, que expressavam toda a emoção do reencontro de um amor que foi além da vida... e do tempo.




Tema Nacional - "Coração Selvagem" - Ana Carolina (A Regra do Jogo)

Melhor canção da trilha sonora da novela "A Regra do Jogo", "Coração Selvagem" também foi a que mais se sobressaiu no ano. Brilhantemente interpretada por Ana Carolina, a música, que a princípio foi anunciada nas chamadas como tema de Tóia (Vanessa Giácomo) e Juliano (Cauã Reymond), acabou virando tema do controverso casal Tóia e Romero (Alexandre Nero).



Tema Internacional - "Photograph" - Ed Sheeran (A Regra do Jogo)

"Photograph" é a música que mais gostei nesse ano. E fiquei muito satisfeito ao vê-la na trilha sonora internacional de "A Regra do Jogo". A canção de Ed Sheeran é o tema romântico dos personagens Atena (Giovanna Antonelli) e Romero (Alexandre Nero).



Livro - "Perdas e Danos"

Outra categoria difícil. Para escolher o melhor livro do ano eu precisei pensar e avaliar muito. 2015 foi um ano excelente, onde conheci ótimas histórias. Mas para destacar apenas um título, escolhi "Perdas e Danos", escrito por Diane Chamberlain. A história do pai solteiro que luta para criar sua filha com dignidade foi a mais emocionante. Não só a trama principal, mas todas as outras que se ligavam a ela.



Filme - "Uma Longa Jornada"


Não me recordo de ter gostado tanto de uma adaptação de um romance como a de "Uma Longa Jornada", de Nicholas Sparks. Dirigido por George Tillman Jr., o filme apresentou qualidade inquestionável e o elenco representou muito bem todas as emoções do livro. 


E aqui termina os Melhores do Ano do Blog. Agora é esperar para ver o que 2016 nos reserva no universo da dramaturgia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário