domingo, 13 de dezembro de 2015

[Resenha] "Eu Te Darei o Sol", por Jandy Nelson

     Existem muitas histórias de irmãos gêmeos que disputam entre si. Só para citar algumas, temos: a novela "Mulheres de Areia" (1993), de Ivani Ribeiro; os romances "Duas Vidas, Dois Destinos" (2006), de Katherine Peterson; e "O Reverso da Medalha" (1982), de Sidney Sheldon e sua sequência, "A Senhora do Jogo" (2009), escrito por Tilly Bagshawe.

     Em meio a tantas histórias com o mesmo tema, me perguntei o motivo de "Eu Te Darei o Sol" ser tão elogiado e recomendado pelos leitores. O que essa história tem de diferente das demais? 

     Bem, pra começar, a narrativa do romance de Jandy Nelson é uma das mais diferentes que já li. Cada capítulo é narrado por um dos irmãos, que se revezam. E não é só isso; cada um deles narra os acontecimentos em épocas distintas. Noah conta tudo que aconteceu quando ele e sua irmã, Jude, tinham 13 anos; e ela narra os acontecimentos recentes, quando eles estão com 16 anos. No início da leitura eu fiquei um pouco perdido com esse recurso, mas conforme avancei, acabei me acostumando e achando genial, pois rendiam ótimos ganchos no final dos capítulos, me deixando ansioso pra saber o que aconteceria.

     Na primeira metade do livro, os capítulos narrados pelo personagem Noah me pareceram melhores, mais ágeis e agradáveis de ler. Mas na segunda metade do livro, quando alguns mal entendidos começaram a se desfazer, passei a apreciar os capítulos de Jude.

      Uma característica de "Eu Te Darei o Sol" que me surpreendeu muito foi a profundidade com que a autora apresenta seus personagens. Mesmo que a narrativa seja feita em primeira pessoa, ela conferiu características reais e personalidades singulares para cada personagem, por mais pequena que seja a participação dele no romance. Sem dúvidas, Jandy Nelson é uma grande conhecedora da alma humana e sua habilidade em esculpir personagens tão admiráveis comprova isso.

      Outro ponto positivo que devo destacar é a história. No mínimo é uma das mais bem desenvolvidas que tive a oportunidade de ler. No início da leitura de "Eu Te Darei o Sol", eu não imaginava o turbilhão de emoções e sensações pelo qual passaria diante de uma história tão bem intricada e imprevisível como essa.

     Por fim, acredito que levará bastante tempo até que eu leia outro livro tão grandioso como "Eu Te Darei o Sol". Mesmo não entrando pra minha lista de preferidos, ele marcou de uma forma muito positiva; com certeza merece todos os elogios que lhe são conferidos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário