domingo, 20 de março de 2016

[Resenha] "A Garota Sem Passado", por Michael Kardos


"[...] Consumimos uma vida inteira procurando entender o coração e as ações das pessoas à nossa volta, mas o resultado é um só: equívoco, equívoco, equívoco."
     Com a frase acima, mencionada pelo personagem Arthur Goodale, em "A Garota Sem Passado", posso associá-la à minha própria impressão sobre o livro. Desde quando iniciei a leitura do romance comecei a juntar todas as peças desse quebra-cabeça; e tentava montá-lo conforme ocorriam os fatos, mas sem sucesso. Ou seja: eu tentava entender a conduta dos personagens envolvidos nos mistérios do livro, mas diante das revelações, chegava sempre à conclusão de que estava equivocado.
A Garota Sem Passado é uma verdadeira aula sobre narrativa e sobre como equilibrar diversos pontos de vista. É repleto de tensão e, mesmo nos momentos de calma, a história parece estar prestes a ferver. É um livro que pulsa de energia.” – The Clarion-Ledger
     "A Garota Sem Passado" despertou minha atenção desde a primeira vez em que me deparei com seu título e sua capa, algo semelhante a uma "paixão à primeira vista". Ambos foram idealizados com extremo bom gosto. Principalmente o título, que ficou ainda melhor que o original. Before He Finds Her, sendo traduzido basicamente por "Antes Que Ele a Encontre", também é um título interessante, bastante instigante. Mas se levarmos em conta os dilemas da protagonista Melanie Denison - ou Meg Miller -, concordaremos que faz muito mais sentido. E a capa condiz exatamente com o título e a história. A imagem de uma jovem, numa estrada, diante do horizonte evidencia alguém que precisa seguir em frente, enfrentar os desafios, ir em busca de seu passado, soltar as amarras da prisão que é sua vida presente a fim de confrontar seu futuro.

“Uma história bem-construída sobre uma mulher em perigo com uma premissa incomum e um final inimaginável.” – The New York Times
      Definitivamente, "A Garota Sem Passado" é um livro surpreendente. A começar pelo seu desenvolvimento, que não foi como eu imaginava. Os momentos de extrema ação, perseguição, aflição e desespero que eu esperava não aconteceram. Mas não pensem que fiquei insatisfeito; pelo contrário, eu apreciei com entusiasmo cada instante do livro. Mérito do estilo do autor Michael Kardos e dos personagens tão bem desenvolvidos.

“Leia a primeira página e dê adeus às próximas 24 horas. Sensacional!” – Jeffery Deaver, autor de O Colecionador de Ossos

      Outra característica que merece ser destacada é a narrativa de Kardos. Foi difícil me segurar para não terminar de ler o livro apressadamente. Como já devo ter falado aqui no blog, gosto de ler sem pressa, para poder aproveitar ao máximo tudo que uma história tem para oferecer. E acredite: às vezes um pequeno diálogo, um gesto do personagem, ou uma expressão, fazem toda a diferença. Mas com "A Garota Sem Passado" foi complicado, pois quase não conseguia parar de ler. A cada parágrafo, um misto de curiosidade e tensão pelo que pode estar por vir a qualquer momento, nos invade e nos transborda de ansiedade.

“Mesmo os leitores mais sagazes se surpreenderão com o enredo cheio de reviravoltas que Michael Kardos criou.” – The Strand Magazine

      Embora não tenha sido como imaginava, ao final da leitura, me senti extremamente satisfeito com "A Garota Sem Passado". Apesar da premissa prometer uma história ao estilo de Harlan Coben ou Gregg Hurwitz, por exemplo, foi excessivamente agradável acompanhar uma história tão pouco comum e sensível ao mesmo tempo. Com seu primeiro romance publicado no Brasil, Michael Kardos conquistou meu respeito e admiração. E mal posso esperar para conferir outros romances dele. Já "A Garota Sem Passado" entra para minha lista de favoritos, com lugar reservado entre os melhores de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário