sábado, 25 de junho de 2016

[Resenha] "Uma Prova de Amor", por Emily Giffin

      As escolhas que designamos para a vida e a forma como elas influenciam nas nossas relações, é o tema de "Uma Prova de Amor", romance de Emily Giffin, lançado pela editora Novo Conceito, em 2013.

     "Até onde iríamos por amor?" é o questionamento primordial do livro, que nos estimula a refletir se realmente vale a pena abrir mão de nossas convicções por amor.

     Em "Uma Prova de Amor", nós conhecemos a protagonista Claudia Parr, uma mulher de 35 anos, bem-sucedida profissionalmente, casada com Ben, o amor de sua vida, e que está diante deste dilema.

"Então, como ele pôde me largar simplesmente por eu não querer ter filhos? Eu não o estava submetendo a grandes sacrifícios; eu só queria que as coisas continuassem iguais. Meu marido não me amava o bastante para ficar comigo nesses termos? Eu estava realmente pedindo demais?"




Informações


Título original: Baby Proof
Autor (a): Emily Giffin
Tradução: Maria Angela Amorim de Paschoal
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
Páginas: 432


Sinopse




     Primeiro vem o amor, depois vem o casamento e depois... os filhos. Não é assim?

     Não para Claudia Parr. A bem-sucedida editora de Nova York não pretende ser mãe, e até desistiu de encontrar alguém que aceite esta sua escolha, mas, então, ela conhece Ben.
O amor dos dois parece ideal. Ben é o marido perfeito: amoroso, companheiro e — assim como Claudia — também não quer crianças. No entanto, o inesperado acontece: um dos dois muda de ideia a respeito dos filhos. E, agora, o que será do casamento dos sonhos?
     Uma Prova de Amor é um livro divertido e honesto sobre o que acontece ao casal perfeito quando, de repente, os compromissos assumidos já não servem mais. Contudo, é também uma história sobre como as coisas mudam, sobre o que é mais importante, sobre decisões e, especialmente, sobre até onde se pode ir por amor.



Book Trailer





Resenha

      Pesquisando sobre as obras de Emily Giffin, me deparei com "Uma Prova de Amor" e resolvi conferir esta história intrigante e,  ao mesmo tempo, aparentemente clichê. Este é o terceiro romance da autora que leio; o primeiro foi "Ame o Que é Seu" (2008), e o segundo "Questões do Coração" (2011).

     Minhas experiências com as obras de Giffin não foram plenamente felizes. No primeiro livro foram sofríveis, mas ainda assim valeram a pena. No segundo as coisas melhoraram consideravelmente a ponto de ter certeza de que deveria continuar "investindo" na autora, pois em algum momento encontraria o livro que me empolgasse inteiramente. Dessa forma, com bastante cautela, iniciei a leitura de "Uma Prova de Amor" sem criar expectativas. Quando me referi ao livro, no início da resenha, como "aparentemente clichê", quis dizer que, quando li sua sinopse e associei ao título, imaginei toda a trajetória dos personagens e ousei prever como seria o seu final, detalhe por detalhe. Foi automático. E isso fez com que eu não esperasse muita coisa do livro.

     Mesmo pressupondo o desenrolar do romance, curiosamente me vi completamente envolvido na história. Ao contrário dos demais livros da autora que li, achei a protagonista, Claudia, bastante carismática. Tanto que acabei tomando partido dela, mesmo não compartilhando da mesma opinião que ela em alguns aspectos. Estranho isso, não é mesmo? Não sei se isso aconteceu por ela ser a personagem-narradora da história, e talvez isso possa ter influenciado (acredito que não), ou se realmente ela é mais cativante que a Ellen (de "Ame o Que é Seu") e a Tessa (de "Questões do Coração").

     Outro destaque do romance foi a galeria de personagens interessantes. Além de Claudia, a Jess, sua melhor amiga desde a faculdade; Michael, seu melhor amigo do trabalho; Daphne e Maura, as irmãs; Vera, a mãe; Zoe, sua sobrinha de 6 anos; e alguns outros, foram responsáveis por ótimos e importantes momentos na história.

     Se for para expor algo que não tenha me agradado na obra, posso destacar apenas uma coisa que faltou: profundidade no momento decisivo da história, que ocorre nas páginas finais. Acredito que tenha faltado, nos diálogos de Claudia e Ben um pouco mais de emoção. Não vou me aprofundar para não revelar spoilers, mas do meu ponto de vista, ficou faltando sim um pouco mais de exteriorização dos sentimentos naquele acerto de contas.

     Diante de um final inesperado, surpreendentemente, acho que encontrei, por enquanto, o melhor livro de Emily Giffin. Pela primeira vez me vi fascinado por sua história, a ponto de não conseguir parar de ler. E sua leitura fluiu de forma tão espontânea e ágil, que nem pareceu ter tantas páginas! É um grande triunfo acompanhar uma história tão bem desenvolvida e coesa. A tal "prova de amor" do título não se restringe apenas à Claudia, mas também aos demais personagens e suas tramas. Afinal, amor não está ligado apenas ao parceiro conjugal, mas também à família, aos filhos, a si mesmo, ao trabalho, aos amigos e tantos outros aspectos da nossa vida. E quando constatei essa característica do romance, percebi toda a sua grandiosidade e comprovei o talento ímpar de Emily Giffin. Estava realmente no caminho certo quando escolhi continuar acompanhando suas histórias. E pretendo continuar trilhando por outras de suas obras!

Nenhum comentário:

Postar um comentário