sábado, 20 de agosto de 2016

[Resenha] "A Geografia de Nós Dois", por Jennifer E. Smith

 Ficar preso dentro de um elevador durante um apagão não deve ser agradável, não é mesmo? Mas para os personagens Lucy e Owen, o que era para ser desagradável, acabou transformando a vida dos dois de forma definitiva. Em "A Geografia de Nós Dois", romance de Jennifer E. Smith, lançado pela editora Galera Record neste ano, a distância é o maior obstáculo para o amor entre dois jovens.

     Nem Owen, nem Lucy foram os mesmos depois de terem se conhecido naquele momento enfadonho. Ambos moravam no mesmo prédio em Nova York, mas nunca haviam se falado. Porém, tudo muda a partir de então. Sem notarem com clareza o que estão sentindo, ambos se tornam grandes amigos. Mas a amizade criada pelos dois poderia estar com os dias contados. Owen se muda de Nova York e Lucy também estava prestes a viver em outro país. Embora se correspondessem por meio de cartões e mensagens eletrônicas, em cada lugar onde viviam, Lucy e Owen sentiam cada vez mais que alguma coisa estava faltando. E o sentimento que os unia, apesar da distância, crescia cada vez mais. Até quando eles deixariam que a geografia os separassem?

     Tentando quebrar um pouco a sequência de livros lidos das mesmas editoras de sempre (Arqueiro, Intrínseca e Novo Conceito), resolvi variar. Ao ler o título de "A Geografia de Nós Dois" no site da Galera Record, fiquei bastante curioso para saber do que se tratava. E achei engraçado, pois estava prestes a ler outro livro com título parecido, "A História de Nós Dois", mas com temas bem diferentes. Apesar da curiosa semelhança, adicionei à lista "Quero Ler".

      A sinopse, assim como o título, ganhou minha simpatia. Então, criei as melhores expectativas possíveis a respeito do livro. Não havia muito no que me basear, afinal, a autora era desconhecida por mim, e as referências aos seus outros romances eram muito boas. Ou seja: não havia motivos para ficar com pé atrás na leitura.

     Porém, "A Geografia de Nós Dois" se mostrou bem diferente do que eu esperava. Bem, seus personagens são muito bem desenvolvidos, suas tramas são bastante críveis (até demais, ouso dizer), mas mesmo assim o livro deixou bastante a desejar; pelo menos para mim foi o que aconteceu.

     Depois de um início promissor, um pouco depois que Lucy e Owen se separam, achei que a história ficou muito arrastada e monótona. Uma sucessão de descrições irrelevantes e acontecimentos sem nenhuma importância tomaram conta do livro e eu não via a hora de terminá-lo logo. Algo que me marcou negativamente no livro foi as intermináveis exposições dos países por quais os personagens passaram. Acabou virando uma aula chata de Geografia, e olha que eu gostava muito dessa matéria, hein! Talvez se a autora tivesse dado ainda mais ênfase nas relações dos protagonistas com seus pais e com as outras pessoas com que eles se relacionaram ao invés de descrever os lugares e os costumes, as coisas teriam sido diferentes. Mas se levarmos em conta o título, talvez, tudo que eu não curti na história, fosse exatamente o que a autora queria passar? Não sei, mas não me agradou.

     E para compensar seu triste desenvolvimento, até que achei o final muito bacana. Li as últimas páginas com certa rapidez, devido ao meu súbito interesse na história, após dias querendo abandoná-la.

     Mas não desisto de Jennifer E. Smith. Pretendo conferir outros de seus romances: "A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista"  (2013) e "Ser Feliz é Assim" (2014), todos os dois lançados pela Galera Record.

     Com um início promissor, desenvolvimento maçante e um final empolgante, "A Geografia de Nós Dois" termina abaixo das minhas expectativas, mas com grandes ensinamentos. E apesar da experiência não muito animadora, seu enredo diferente e seus personagens cativantes fizeram valer a pena.

Nota:   

Nenhum comentário:

Postar um comentário