segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Quebrando Uma Maldição Literária: "Riacho Doce"


     Comecei a fazer parte de um projeto muito bacana: o Blogagem Literária Coletiva. Nele, todo mês é proposto um tema e todos os blogueiros participantes devem desenvolvê-lo em seus respetivos blogs.
     O tema do mês de outubro é "Maldição Literária":

"Nesse dia das Bruxas, imagine que você pode quebrar ou lançar uma maldição literária. Sabe aquele personagem que fez tudo errado e mesmo assim se deu bem no final? Ou aquele mocinho que levou a pior o tempo todo? Essa é a sua chance de mudar as coisas. De quem você mudaria a história, o final, ou qualquer coisa que te desagradou, quebrando assim a maldição? Ou quem você amaldiçoaria fazendo pagar pelos seus erros? E como?"

     A princípio, quando me deparei com o tema, fiquei muito empolgado! Não sou o tipo de leitor que costuma querer mudar o final das histórias; acho que os autores sabem o que é melhor para as suas obras. Além disso, os finais que costumo idealizar (felizes ou não), às vezes são tão previsíveis que até fico satisfeito com o final que seus autores escolheram, independente de terem me agradado ou não. Valorizo mais a surpresa e o impacto que eles causam.
     Mas a proposta do projeto é tão interessante, num contexto tão bacana, que é impossível não se contagiar e abraçar a ideia.
     Agora, difícil foi escolher a obra e o personagem para quebrar ou lançar uma maldição. Bem, li mais de 300 livros... Qual deles escolher? Enfim, depois de passar quase o final de semana inteiro, acredito que não poderia ter escolhido história/personagem melhor! Trata-se do final dos personagens Edna e, do romance "Riacho Doce", do autor José Lins do Rego.

     AVISO!  Infelizmente, serei obrigado a revelar alguns spoilers da obra. Sério, detesto spoilers! E por isso, preferi avisar aos leitores. Se você, leitor, ainda não leu "Riacho Doce", mas pretende, e não gosta de spoiler, por favor, não continue a leitura!!




     No livro...


      O amor entre a estrangeira Edna e o pescador Nô precisaria enfrentar alguns obstáculos para, enfim, se concretizar. Para começar, Edna é casada com Carlos. Ela e o marido chegaram à pacata Riacho Doce, uma vila de pescadores localizada em Maceió, AL, por motivo de trabalho.
     E além de se encantar por todo aquele paraíso, Edna também se apaixona por Nô, um dos pescadores, e é correspondida pelo mesmo.
     Mas Nô é neto de Vó Aninha, uma respeitada líder espiritual da comunidade, que espera que seu neto herde seu posto. Munida de poderes sobrenaturais, ela fecha o corpo do rapaz para o amor. Dessa forma, todas as mulheres que se apaixonam por Nô se tornam amaldiçoadas.
     Ainda assim, Edna e Nô se entregam ao sentimento desafiador que os une. 
     Porém, Vó Aninha descobre e faz o maior escândalo! E numa funesta discussão com Nô, Vó Aninha lhe lança uma maldição, abrindo seu corpo para os males, as desgraças e as pestes. 
     Nô - com o peso da maldição sobre si -  e Edna - ligada ao compromisso com Carlos - acabam se distanciando. Ele se torna uma pessoa fria e indiferente, sem gosto pela vida. E Edna, quando se depara com ele nessa situação, sente-se ainda mais infeliz e corre para a praia na qual eles costumavam se amar. Então, ela se despe e entra no mar e começa a nadar sem parar rumo o mar aberto. 



 Quebrando a maldição de Edna e Nô...


      Quando o amor entre Edna e Nô viesse à tona, ambos assumiriam para todos, sem medo. Nô não se importaria com as palavras rancorosas e malditas proferidas por sua avó, pois saberia que aquele sentimento puro e divino que ligava um ao outro era mais forte. 
     Então, Nô construiria uma casa na praia onde era o cenário dos momentos de amor entre ele e Edna, onde passariam a viver, longe da influência de Vó Aninha; e livres para amar com toda a plenitude.
     Com a união do casal, toda a maldição proferida sobre Nô voltaria para Vó Aninha, que padeceria de todo o mal que um dia desejara para o neto.


     Enfim, maldição quebrada e final feliz. E aí, gostaram do final alternativo que criei para os personagens de José Lins do Rego? E você, que livro/personagem escolheria para quebrar ou lançar uma maldição? Comente!

6 comentários:

  1. Nunca li esse livro, mas amei o final que você colocou <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, Isabella!
      Caso se interesse, recomendo muito que você o leia. É uma história marcante. Se quiser conhecer um pouco mais, confira a resenha que fiz sobre ele no link: http://blogventonorte.blogspot.com.br/2016/01/resenha-riacho-doce-por-jose-lins-do.html

      Abraço!

      Excluir

  2. Eu amei seu post, ainda não conhecia esse livro, mas que final triste :(
    Também amei que você escolheu eles pra quebrar a maldição(que avó ele foi ter hein?! rsrsrrsrs) e mesmo sem ter lido acho que eles devem sim ficar juntos ♥
    ótima terça
    bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Tatiane! A história de Nô e Edna é linda! O final, apesar de triste, é coerente com a história e o perfil dos personagens. Se um dia se interessar, não deixe de ler.

      Excluir
  3. Hey, Douglas!
    Adorei a escolha! Realmente precisava de uma repaginada nesse final. Adorei também o que fez com o final dos personagens. Tão simples, certeiro e lindo!
    Não conhecia o livro, mas fiquei curiosa. Porém, com o final original seria muito sofrimento! Prefiro o seu final alternativo... rs.
    Mil beijokas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que maravilha, Anya. Fico contente que tenha gostado...
      Estou surpreso pela maioria ainda não conhecer o livro! Achava que ele era bastante famoso entre os leitores, inclusive, por ser um clássico brasileiro, foi o fator fundamental para a escolha dele nesse tema do projeto. Detestaria ter que revelar spoiler de uma história mais atual, como "Baía da Esperança", "Não Fale com Estranhos" ou "A História de Nós Dois", por exemplo. rs
      Se quiser saber mais sobre a história, convido-a a ler a resenha que fiz sobre ela no blog >>> http://blogventonorte.blogspot.com.br/2016/01/resenha-riacho-doce-por-jose-lins-do.html

      Obrigado, e beijão!!

      Excluir