domingo, 20 de novembro de 2016

[Lembranças] Os 10 anos da novela "Pé na Jaca"


     E lá se vão dez anos desde a estreia de "Pé na Jaca" no horário das sete, na Globo. No dia 20 de novembro de 2006, a trama escrita por Carlos Lombardi e dirigida por Ricardo Waddington estreou com missão quase impossível de manter os ótimos índices de audiência e a repercussão de "Cobras & Lagartos" - novela anterior no horário. Bem, ela não chegou muito perto da meta estabelecida, mas também não fez feio e conquistou uma legião de fãs e até hoje é lembrada com muito apreço pelos mesmos.

     Antes da estreia, eu confesso que fiquei com um pé atrás com a novela. Acredito que o motivo era a implicância que sempre tive com o trabalho do autor da novela. Até então eu não havia apreciado suas novelas e séries/minisséries. Inclusive, algumas delas estão na lista das que eu mais detestei até hoje. Com exceção, é claro, daquelas que ainda não assisti, como "Vereda Tropical" (1984) - essa eu tenho certeza que vou gostar -, "Bebê a Bordo" (1988) e "Perigosas Peruas" (1992).

     No ar, "Pé na Jaca" me conquistou de imediato. A começar pela divertida abertura, que mostrava a animação dos animais em uma fazenda, enquanto aprontavam todas, dançando e cantando ao som de "Eu Ando OK", na voz de Zizi Possi. É uma das mais marcantes e uma das minhas preferidas.

     Em seu desenvolvimento, "Pé na Jaca" se mostrou uma novela leve, ágil, extremamente engraçada e com um enredo muito interessante. Basicamente se tratava do reencontro de cinco amigos de infância: Arthur (Murilo Benício), Maria (Fernanda Lima), Elizabeth (Deborah Secco), Guinevere (Juliana Paes) e Lancelotti (Marcos Pasquim), que após 25 anos voltavam à Deus me Livre, no interior de São Paulo, dispostos a recomeçar suas vidas. Mas a morte do homem mais rico da região, o Último Botelho Bulhões (Fulvio Stefanini) e o mistério sobre o seu herdeiro desencadeou uma caça à fortuna, temperada por divertidas confusões amorosas.

     
     A trilha sonora também é merecedora de elogios. Para a novela, a Globo lançou apenas um álbum, cuja capa era estampada por alguns dos animais que fizeram sucesso na abertura. Foi uma grande ideia! Composto por 17 faixas, o álbum reunia grandes nomes da música brasileira, como Caetano Veloso, Marisa Monte, Lenine, Milton Nascimento, Elis Regina, Ângela Rô Rô e Maria Bethânia. Aliás, Bethânia interpretava a minha canção preferida na novela, "Cheiro de Amor", que embalava o atrapalhado romance de Lancelotti e Maria.

      Quando estreou, "Pé na Jaca" dividiu a grade da Globo por um bom tempo com dois grandes sucessos que estavam no ar, na época: a romântica e espiritualista "O Profeta", exibida às seis; e a dramática "Páginas da Vida", às oito. No Vale a Pena Ver de Novo, "Chocolate com Pimenta" ganhava sua primeira reprise, sendo substituída por "Era Uma Vez..." dois meses depois.

     Com um final harmonioso, "Pé na Jaca" teve seu último capítulo exibido em uma sexta-feira, dia 15 de junho de 2007, totalizando 179 capítulos ao longo de sete meses. Foi substituída por "Sete Pecados", novela de Walcyr Carrasco e com direção de Jorge Fernando, que estreou na segunda-feira seguinte.

2 comentários:

  1. Gosto muito da novela
    Do Arthur e da Elizabeth
    E a música que a embalava, infinito particular da Marisa Monte
    Boa lembrança

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado,Elizabeth. A sua xará, era realmente uma personagem incrível. Uma das melhores da carreira da Deborah Secco.
      Beijos e obrigado pela visita!

      Excluir