sábado, 19 de novembro de 2016

[Resenha] "O Casamento", por Nelson Rodrigues

     Um livro extremamente polêmico, "O Casamento" foi publicado há 50 anos. E no mesmo ano, menos de dois meses após seu lançamento, o romance de Nelson Rodrigues teve sua circulação proibida. Era uma época ditatorial e "O Casamento" era considerado como "um atentado contra a instituição da família", subversivo e indecoroso.

     No mês de agosto, "O Casamento" foi indicado pela escritora Heloisa Seixas como o livro do mês da TAG - Experiências Literárias, um clube de assinaturas de livros do qual passei a fazer parte há pouco tempo.

     Por nunca ter lido qualquer livro de Nelson Rodrigues e pela história ousada e instigante, encomendei meu kit à TAG e embarquei na trama, cuja resenha você pode conferir nesta postagem:


Informações


Autor: Nelson Rodrigues
Editora: Nova Fronteira
Ano: 2006
Páginas: 272


Sinopse


     A apenas um dia do casamento de Glorinha e Teófilo, o médico da noiva avisa ao pai dela, Sabino, que seu futuro genro foi flagrado em um incidente homossexual. Dr. Camarinha surpreendeu o noivo beijando seu assistente na boca!
     Sabino, ardendo na dúvida de revelar a suposta verdade à filha, vira sua vida do avesso.


Resenha


O kit de agosto da TAG, com o livro "O Casamento"
     Como já disse no início da postagem, conheci "O Casamento" através do clube TAG - Experiências Literárias. Até então nunca havia lido qualquer obra escrita por Nelson Rodrigues. Aliás, conhecia autor apenas de nome, por causa das adaptações de seus romances para a televisão, como a novela "O Homem Proibido" (1982), e a minissérie "Meu Destino é Pecar" (1984) - ambas produzidas pela Globo, que nunca assisti, mas pretendo se um dia surgir a oportunidade.

     Não foi difícil ficar animado com a leitura de "O Casamento". A breve sinopse já prometia uma história interessante e provocativa, que consequentemente geraria inúmeros conflitos entre seus personagens. Ou seja: um prato cheio para qualquer leitor que gosta de navegar pelos dramas e as ações dos personagens.

     Falando nos personagens, "O Casamento" possui uma galeria muito rica deles. Nelson Rodrigues, de forma brilhante, conferiu a cada um deles características tão pessoais que torna a leitura ainda mais plausível.

    No desenrolar da trama, constatei que nada do que eu imaginava aconteceria na história. E foi assim até o final. Sem dúvidas foi uma leitura surpreendente, no sentido literal da palavra. De um capítulo ao outro, página a página, me deparava com um tema delicado, sendo discutido sem reservas e de forma abrupta. São tantos temas polêmicos que fica até difícil citá-los (risos).

     A narrativa de "O Casamento" também me surpreendeu pela agilidade e pelo estilo. Apesar de escrito na década de 60 não carrega expressões e vocabulário de difícil compreensão. Muito pelo contrário, é bastante atual.

     Em "O Casamento", tudo aquilo que seus personagens lutam para esconder, de uma forma ou de outra, acaba exposto. A sujeira que fica debaixo do tapete é descoberta. E choca. Aqueles que apontam o dedo para a sujeira escondida pelo outro, que fazem questão de julgar, são os que mais ocultam. E são também os que mais dissimulam uma vida purificada, porém inexistente, criada apenas de aparências.

Nenhum comentário:

Postar um comentário