sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

[Resenha] "As Cores da Vida", por Kristin Hannah

      Uma arrebatadora história sobre o que significa ser uma família.


     "As Cores da Vida" é o mais recente romance de Kristin Hannah, lançado pela editora Arqueiro em agosto de 2016.

     O livro, que tem como protagonistas três irmãs - Winona, Aurora e Vivi Ann -, nos leva a contemplar o cotidiano de uma família que, apesar dos empecilhos que surgem na vida, se empenha em permanecer unida.

     Com uma narrativa de tirar o fôlego, que nos brinda com interessantes reflexões, "As Cores da Vida" é um romance inesquecível sobre rivalidade, amor, perdão e redenção.




Informações


Título original: True Colors
Autor (a): Kristin Hannah
Tradução: Flávia Souto Maior
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Páginas: 352



Sinopse


     As irmãs Winona, Aurora e Vivi Ann perderam a mãe cedo e foram criadas por um pai frio e distante. Por isso, o amor que elas conhecem vem do laço que criaram entre si. Embora tenham personalidades bastante diferentes, na verdade são inseparáveis.

     Winona, a mais velha e porto seguro das irmãs, nunca se sentiu em casa no rancho da família e sabe que não tem as qualidades que o pai valoriza.

     Mas, sendo a melhor advogada da cidade, ela está determinada a lhe provar seu valor.

     Aurora, a irmã do meio, é a pacificadora. Ela acalma as tensões familiares e se desdobra pela felicidade de todos – ainda que esconda os próprios problemas.

     E Vivi Ann é a estrela entre as três. Linda e sonhadora, tem o coração grande e indomável e é adorada por todos. Parece que em sua vida tudo dá certo. Até que um forasteiro chega à cidade...

     Então tudo muda. De uma hora para a outra, a lealdade que as irmãs sempre deram por certa é posta à prova. E quando segredos dolorosos são revelados e um crime abala a cidade, elas se veem em lados opostos da mesma verdade.


Resenha


      Uma excelente surpresa. Não consigo utilizar outra expressão para resumir o que a leitura de "As Cores da Vida" significou para mim. Quando soube de seu lançamento, fiquei bastante receoso. Minha primeira experiência com o trabalho de Kristin Hannah, o livro "Jardim de Inverno", foi suficientemente desagradável a ponto de, ao vislumbrar o novo romance, ser levado a pensar duas vezes antes de iniciar a leitura de outro livro escrito por ela.

     Mas aquela capa tão autêntica - uma verdadeira obra de arte - e o título esplêndido, me deixaram extremamente curioso. Ao ler a sinopse previ uma história promissora, mas lembrei que tive a mesma sensação com "Jardim de Inverno". Só que o fato de a história se passar em uma fazenda e o vestígio de um grande mistério na trama foram determinantes para que eu lesse a obra.

      O tema principal de "As Cores da Vida" é a família. É um tema que, ao ser abordado em uma narrativa, desponta para várias discussões, possibilitando ao autor uma boa oportunidade para a criação e o progresso de histórias marcantes. No romance, é possível notar o ótimo desenvolvimento da elaboração do tema na relação das irmãs Grey, que conhecem a importância da lealdade, a harmonia e o companheirismo. Ao contrário do personagem Dallas, que não teve a mesma sorte ao longo da vida, mas que começa a descobrir o verdadeiro sentido do que é fazer parte de uma família.

     "As Cores da Vida" possui uma estrutura de enredo linear. Começa no ano de 1992 e segue até a atualidade, narrando a trajetória dos Grey e os principais acontecimentos da cidade de Oyster Shores. O estilo narrativo de Kristin Hannah proporciona aos leitores uma leitura agradável; ela se expressa de forma clara e objetiva, deixando a apreciação do romance prazerosa e descontraída, contribuindo para uma leitura dinâmica e atrativa.

     O romance se destacou por retratar as relações familiares de uma forma mais realista do que estava acostumado a ver nos romances. Não me recordo de uma história que aborde o vínculo entre irmãos como o das irmãs Grey. Em "As Cores da Vida" não vemos uma total rivalidade ou completa afeição; e sim os altos e baixos existentes na convivência em família. Em certos momentos, a família pode ser responsável por momentos de grande transtorno; em outros casos, é o nosso porto seguro. E Kristin Hannah expõe, com maestria, todos esses aspectos no livro.

     Emocionante, "As Cores da Vida" é um romance notável. Com personagens bem desenvolvidos (destaco Winona e Noah), cenários inspiradores e tramas envolventes, entra para a minha lista de livros preferidos. Futuramente, com toda certeza, será merecedor de uma nova leitura. 


Nota:     

Nenhum comentário:

Postar um comentário