segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

[Resenha] "O Amor em Primeiro Lugar", por Emily Giffin


     Superar uma perda é algo que costuma ser bastante difícil. E não há como prever o tempo que essa ação pode levar. Talvez seja questão de dias... ou talvez muitos anos. Cada pessoa reage de uma forma. E é exatamente isso que percebemos ao ler "O Amor em Primeiro Lugar", o mais novo romance de Emily Giffin, publicado no Brasil pela editora Novo Conceito. Nele, somos apresentados às irmãs Josie e Meredith, as protagonistas da história, que após uma fatalidade, veem suas vidas mudarem de forma gradativa.

     Após a morte trágica de seu irmão, Daniel, Josie e Meredith tentam seguir em frente com a vida. Mas no fundo elas ainda não superaram a dor de perder o irmão que tanto amavam. Quinze anos mais tarde, elas não conseguem ter um relacionamento harmonioso. Desentendimentos e discussões são cada vez mais frequentes no convívio das duas. De personalidades completamente distintas, as diferenças entre elas ficaram ainda mais acentuadas com o passar dos anos. Ambas têm quase quarenta anos; e é nessa fase da vida que elas se dão conta de que é chegado o momento de encarar seus medos, eliminar os segredos e a tristeza para seguir em frente de verdade.

     Em mais uma narrativa sensível, Emily Giffin transborda competência ao expressar as relações humanas, com histórias intrigantes, personagens e situações verossímeis, mesclando drama e humor. Gosto dos livros da autora porque eles, com as histórias que apresentam, nos levam a questionar, a se colocar no lugar dos seus personagens e refletir sobre que decisões tomaríamos diante de seus dilemas.

     "O Amor em Primeiro Lugar" apresenta uma história comovente desde a sinopse, exaltando o sentimento que é a base de nossas vidas: o amor. Apesar das diferenças que possam existir entre as pessoas, o amor e a confiança são fundamentais. Só o amor dá a coragem necessária para enfrentar o que está por vir, aquilo que nos é desconhecido.

      É uma trama que fala, principalmente, de superação. E mais do que isso, mostra como a perda de um ente querido pode afetar a vida das pessoas. E não apenas no comportamento. Talvez as escolhas futuras também possam estar direta ou indiretamente ligadas a esse acontecimento.

     Além das reflexões, a leitura de "O Amor em Primeiro Lugar" também me proporcionou momentos divertidos. Cada capítulo é narrado em primeira pessoa pelas protagonistas, que se revezam na narrativa. É óbvio que os capítulos narrados por Josie eram mais alegres e descontraídos. Embora minha personalidade no geral combine mais com a de Meredith, acho que acabei me simpatizando mais com a Josie. Acredito que isso deve ao fato de Meredith não ser tão honesta consigo mesma. Ao contrário da irmã, que sabe o que quer e está sempre em busca de concretizar seus objetivos. Outro personagem que se destacou foi Pete, um fisioterapeuta que Josie conheceu em um site de relacionamentos. E a relação dos dois, a amizade que eles desenvolvem, a sintonia evidente entre eles, sem dúvidas, foi um dos grandes triunfos do livro. Outros que também se destacaram foi Gabe (o melhor amigo de Josie e que vive com ela), Nolan (o marido de Meredith) e Sydney (a melhor amiga de Josie, e também colega de trabalho).

     De negativo tenho dois, ou melhor, três pontos a destacar. O primeiro: se você ainda não leu "Ame o Que é Seu", aconselho a não ler "O Amor em Primeiro Lugar". Giffin tem uma mania que não curto, que é ressuscitar personagens de outros romances em seus livros mais recentes. Isso foi uma coisa que vim reparando ultimamente nos livros dela. E nesse, a Ellen, protagonista de "Ame o Que é Seu" é nada mais e nada menos que melhor amiga de Meredith. E consequentemente, se você ainda não conhece a história dela, vai acabar se deparando com spoilers. E para quem não gosta e pretende ler o livro, é uma situação desagradável.

     Outro ponto negativo foi um erro na página 38, do capítulo 04. Numa cena, Nolan diz que a babá que Meredith contratou para cuidar de sua filha pode mesmo ter sofrido uma intoxicação alimentar e cancelado em última hora. Mas Meredith não havia mencionado com o marido o motivo do cancelamento da babá, que avisou por mensagem de texto a ela. Portanto, como ele poderia saber? Não sou de reparar nesses detalhes, mas dessa vez não teve como. 

     E por último, não fiquei satisfeito com a decisão final de Josie. Ela tinha duas alternativas e escolheu justamente a que eu achei "nada a ver". Não vou entrar em detalhes para não revelar spoilers, mas fica registrado minha insatisfação (risos).

     Apesar desses três pontos que destaquei, considero "O Amor em Primeiro Lugar" um dos melhores livros da autora que li até agora. E, para aqueles que curtem o tema ou o seu estilo, não deixem de ler essa obra. Essa foi uma experiência diferente com Emily Giffin. Dessa vez não era um casal em crise no centro da história; e sim, duas irmãs que só precisavam encarar seus medos e assumirem que não é possível controlar todas as coisas; mas que sempre poderiam contar com o amor, pois é o que dá força e coragem para seguir em frente.


" – [...] O amor sempre dá um jeito. Até mesmo nos momentos difíceis."


Nota: 

    

Nenhum comentário:

Postar um comentário